UniFAJ fomenta parcerias com importantes núcleos de pecuária do País

UniFAJ fomenta parcerias com importantes núcleos de pecuária do País

Estabelecer e fortalecer parcerias com os principais núcleos de pecuária no Brasil é uma das metas da UniFAJ (Centro Universitário de Jaguariúna) para os próximos anos. Articulação que já deu os primeiros passos em 2019, quando a IES sediou eventos da ABCCMM (Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador) e da ABCZ (Associação Brasileira de Criadores de Zebu).

“Queremos tornar esse tipo de evento cada vez mais possível para todos os setores animais: equino, gado de corte, de leite”, informa o professor Guilherme Hyppolito, gestor do CPAA (Centro de Pesquisas Ambientais e Agropecuárias) da UniFAJ, fazendo referência à Feira de Touros Pró-genética, evento organizado em parceira com a ABCZ. “É muito importante esse tipo de evento no meio acadêmico, porque a faculdade dá a base de tudo, mas a realidade está aqui, olhando os animais, observando a genética, em contato com produtores que entendem, às vezes, muito mais que alguns técnicos. Aqui é a prática”, defende.

O gestor reafirma que a intenção é fomentar cada vez mais parceria com os núcleos de controle pecuário, porque é onde vai ter o melhoramento genético, onde são testados os animais e provada a competência para ganho de peso e produção de leite. “Esperamos que esse evento (Feira de Touros) aconteça anualmente, pois pretendemos fomentar a cada ano, envolver as casas de agricultura do setor, principalmente o Cati, para poder trazer cada vez mais produtores. Sabemos a demanda de gado do nosso setor, formado por 11 municípios com 80 mil cabeças, sendo quase 30 mil vacas, portanto existe uma demanda muito grande de touros. Por isso é importante essa feria que mostra a realidade do gado, sua genética, com um valor acessível de comercialização”, defende Hyppolito.

Hyppolito ainda reforçou como exemplo de parceira bem sucedida o evento do cavalo mangalarga marchador, que teve muitas discussões, debates, práticas. “Foi tão relevante que a ABCCMM parabenizou e quer trazer novamente no ano que vem. A ideia é transformar nosso campus em um centro de eventos”, fala o docente.

O zootecnista Cristiano Perroni, técnico de campo e consultor do PMGZ (Programa de Melhoramento Genético de Zebuínos) da ABCZ (Associação Brasileira de Criadores de Zebu), afirma que a parceria foi muito importante porque foi possível mostrar todo o trabalho da ABCZ para mais de 200 pessoas dentro da faculdade. “Consideramos que foi de muito êxito porque está divulgando e mostrando nosso trabalho na promoção das raças zebuínas do Brasil”, ratificou Perroni, acrescentando que a Feira propiciou a oportunidade de oferecer animais com genética melhoradora para que os pequenos produtores também tivessem a oportunidade de adquirir esses animais e, consequentemente, aumentar a produtividade dentro de suas fazendas.

Perroni explica que a ideia com o programa pró-genética, que foi realizado dentro da ABCZ no ano de 2015, é fazer que essa genética chegue na ponta final da cadeia que são os produtores de carne. A ABCZ é uma das principais associações do Brasil, com mais de 20 mil associados. Atualmente o rebanho bovino brasileiro é de 212 milhões de cabeças, sendo que em 80% predomina o sangue zebuíno.

Cristiano Perroni e Guilherme Hyppolito