Quais as habilidades e competências essenciais para conquistar o mercado e permanecer nele?

Quais as habilidades e competências essenciais para conquistar o mercado e permanecer nele?

O diretor institucional da FAAGROH, professor Geraldo Eysink, conversou com diversos profissionais que responderam esse questionamento. O objetivo da série de entrevistas foi contribuir ainda mais com a formação do estudante

 

Com o intuito de contribuir ainda mais para a formação dos estudantes, a FAAGROH (Faculdade de Agronegócios de Holambra) realizou uma série de entrevistas com diversos profissionais de destaque no mercado de trabalho que responderam ao seguinte questionamento: “Quais os critérios adotados e quais detalhes observam num candidato para que ele seja absorvido e permaneça na sua empresa? ”.

A apresentação e a intermediação das entrevistas foram feitas pelo diretor institucional da FAAGROH, professor Geraldo Eysink. “Cabe a nós como instituição de ensino cumprir com nossa grande missão de preparar os alunos para este tipo de desafio”, salienta o docente.

Thomas Derks, produtor agrícola nas regiões de Holambra e de Minas Gerais considera essenciais para o profissional gostar do que faz e ter comprometimento, além de:

  •         Visão estratégica: saber planejar, enxergar as prioridades e executar;
  •         Trabalho em equipe;
  •         Utilizar as informações de maneira correta;
  •         Aproveitar bem as tecnologias para o agronegócio;
  •         Líderes para “caçar” talentos dentro da própria equipe e;
  •         Construir um ambiente sustentável no ambiente de trabalho.

Já Jacobus Derks, agricultor e empresário, afirma que toda teoria aprendida será utilizada na prática no campo. “Não pode parar de estudar, tem de continuar a assistir palestras, dicas de campos para ver erros e acertos, estar sempre atualizado sobre a cidade, o país e o mundo são muito importantes”, diz. Ele também ressalta outras habilidades socioemocionais como:

  •         Criatividade;
  •         Motivação;
  •         Busca constante por conhecimento e;
  •         Ter capricho no acompanhamento de todas as etapas.

“Eu entendo que habilidade é a capacidade que a pessoa tem e adquire para desempenhar determinada função e a competência é mais ampla e consiste na junção e coordenação das habilidades com conhecimentos e atitudes. A pessoa pode ter habilidades, mas não ter a competência necessária para desempenhar tal função”, explica a Mestre em Agricultura, Célia Frasca-Scorvo.

André Van Kruijssen, CO da Cooperativa Veiling Holambra, reforça a importância da motivação e conta que leva em consideração numa contratação pessoas que gostam de desafios e inovação, dispostas a mudanças e que gostem de agregar valor. “Só o fato de o candidato ter estudado na FAAGROH já é um plus, o estudo lá é uma referência boa para nós”, enfatiza.

A gerente de pessoas da Veiling, Adriana Delafina, ressalta que para quem deseja ter sucesso e se destacar no mercado de trabalho é muito importante conhecer a cultura e as competências organizacionais do local que almeja trabalhar.

Falar inglês, ter habilidade para trabalhar sozinho e ter iniciativa própria são os requisitos esperados de um candidato a uma vaga na AGROALL segundo Martinus Peter, diretor da empresa.

Para o agricultor Antônio Eclídes Fernandes, a prática é fundamental para o futuro profissional. “É preciso buscar experiência. Meu pai sempre dizia é preciso ter terra debaixo da unha para pedir para os outros fazer as coisas, principalmente, na agricultura”, diz.

“O mais importante é descobrir sua missão, se fazer a pergunta: ‘O que realmente traz sentido para minha vida? O que me faz viver feliz? ’ Se unir a pessoas que tenham o mesmo sonho de trabalhar por um mundo melhor. Como disse um monge budista: é maravilhoso pensar que nós somos todos filhos da terra e que juntos podemos cuidar dela”, aponta Joop Stoltenborg, sócio da Terra Viva e produtor orgânico.

Outros pontos levantados pelos entrevistados foram realização de trabalhos multidisciplinares, extracurriculares e de Iniciação Científica; interesse; capacidade de mediação; boa formação; bom relacionamento; ética; leitura constante e consulta a opiniões diferentes sobre o mesmo assunto; interação com ambiente onde pretende trabalhar; autodidatismo; flexibilidade; adaptabilidade; manuseio de tecnologias; proatividade; empreendedorismo e cooperativismo, etc.

Participaram também da série de entrevistas: Dra. Gisela de Aragão, pesquisadora da UniCAMP; Marcos Foganholi, agrônomo, fundador da Cromai Tec Agrícolas; Marita Domhof, MBA em Agronegócios Internacionais; Mauro Miashiro, desenvolver de Agronegócio; Silvia Sartoreli, engenheira agrônoma; Mauricio Torres, engenheiro agrônomo e consultor; Kess Schonmaker, presidente da IBRAFLOR e sócio da empresa Terra Viva; Paulo Adabo, engenheiro elétrico; Willhelmus Van Noije, pesquisador e professor da USP; Uilian Ruivo, consultor; Roberta Civizzo Lazarov, designer de produtos; Tommy Van Nojie, empresário e produtor; Elis Pennings, empresária; Renato Optiz, agrônomo sócio RBB e do IBRAFLOR; Renê Vernoy, empresário; Cintya Magro, advogada; Bárbara Eysink, gerente de Trade Marketing; Sérgio Luiz Pompeia, gerente de pessoas e ; Renata Marron, apresentadora do Programa Terra Viva.

Confira todas as entrevistas: Habilidades e competências para entrar no mercado de trabalho

 

 

Texto: Tatiane Dias – (MTB 67029)