Projeto em parceria com o judiciário é iniciativa inovadora da UniFAJ

Projeto em parceria com o judiciário é iniciativa inovadora da UniFAJ

Os alunos do 10º semestre do curso de Psicologia da UniFAJ (Centro Universitário de Jaguariúna) são responsáveis pelo Grupo de Apoio à Adoção (Gapa) com sede em Jaguariúna. Mas a atuação vai além dos encontros mensais, pois o projeto começou em agosto de 2016 com a parceria estabelecida entre a UniFAJ e o Fórum de Jaguariúna.

“Esse grupo de pretendentes de adoção é feito pelos alunos de Psicologia. Portanto, são os alunos, na prática de estágio curricular obrigatório, que coordenam, organizam e planejam as ações desse trabalho com supervisão da psicóloga Helem Sandra Albino, do Fórum de Jaguariúna, e da professora Juliana Corbett, supervisora de estágio da UniFAJ”, revela a professora Vanessa Cabrelon Jusevicius, coordenadora do curso de Psicologia da UniFAJ.

A coordenadora explica que os estudantes discutem semanalmente quais serão as atividades que vão fazer, e as reuniões do grupo acontecem uma vez por mês. “É um trabalho diferenciado, porque temos poucas iniciativas de universidades envolvidas como é nosso caso, que temos essa parceria com o judiciário, pois na maioria das vezes, os grupos são independentes”, reforça a professora Vanessa.

A gente percebe que existe uma conexão entre essas duas áreas que podemos explorar ainda mais com novos projetos, e esse do Gapa é um deles”, acrescenta Helem Sandra Albino, psicóloga judiciária na Comarca de Jaguariúna, que atua no Fórum desde 2014 e leciona na UniFAJ na disciplina de Psicologia da Família no curso de psicologia e Psicologia Jurídica no curso de direito.

Helem cita que o Gapa traz os alunos da  Psicologia para conhecer um pouco do dia a dia da Comarca, para entender o que é psicologia judiciária, como se dá o processo de adoção e trabalhar a preparação desses pretendentes. “E eu passo para os alunos do Direito os trabalhos acadêmicos sobre adoção, para perceberem essa dimensão humana do processo não ser uma coisa fria da lei, que tem que ter o preparo humano. Portanto a gente consegue permear essa conexão entre os cursos (Direito e Psicologia)”, pontua.

Para Julia Miachon Silva, aluna do 10º semestre de Psicologia, é uma experiência muito rica e fundamental ter um contato tão grande e direto num grupo. “Contribui com o fato de aprender a trabalhar em grupo, porque somos um grupo de estagiários que tem a função de trabalhar com outro grupo que é o dos futuros adotantes. Acredito que vai ser um diferencial para a minha carreira”, comenta.