OMS acelera pesquisa e inovação para novos coronavírus

OMS acelera pesquisa e inovação para novos coronavírus

A OMS está convocando um fórum global de pesquisa e inovação para mobilizar ações internacionais em resposta ao novo coronavírus (2019-nCoV).

O fórum, que será realizado de 11 a 12 de fevereiro em Genebra, é organizado em colaboração com a Global Research Collaboration for Infectious Disease Preparation.

O fórum reunirá atores-chave, incluindo cientistas renomados, agências de saúde pública, ministérios da saúde e financiadores de pesquisas que buscam a saúde crítica de animais e saúde pública em 2019-nCoV e o desenvolvimento de vacinas, terapêuticas e diagnósticos, entre outras inovações.

Os participantes discutirão várias áreas de pesquisa, incluindo a identificação da fonte do vírus, bem como o compartilhamento de amostras biológicas e seqüências genéticas.

 

Os especialistas se basearão nas pesquisas existentes sobre coronavírus SARS e MERS e identificarão lacunas de conhecimento e prioridades de pesquisa, a fim de acelerar informações científicas e produtos médicos mais necessários para minimizar o impacto do surto de 2019-nCoV.

Espera-se que a reunião produza uma agenda de pesquisa global para o novo coronavírus, estabelecendo prioridades e estruturas que possam orientar quais projetos serão realizados primeiro. “Compreender a doença, seus reservatórios, transmissão e gravidade clínica e, em seguida, desenvolver contramedidas eficazes é fundamental para o controle do surto, reduzir mortes e minimizar o impacto econômico”, disse Soumya Swaminathan, cientista chefe da OMS.

Isso também acelerará o desenvolvimento e a avaliação de testes diagnósticos, vacinas e medicamentos eficazes, estabelecendo mecanismos para acesso a populações vulneráveis ​​a preços acessíveis e facilitando o envolvimento da comunidade.

Definir prioridades de pesquisa globais claras para o novo coronavírus deve levar a investimentos mais eficientes, pesquisa de alta qualidade e sinergias entre os pesquisadores globais.

Fonte: Who