Metodologia Ativa é aplicada por alunos de Direito em simulação de Júri

Metodologia Ativa é aplicada por alunos de Direito em simulação de Júri

Os estudantes do 1º semestre do curso de Direito realizaram um Júri Simulado nos dias 6 e 13 de junho, como complemento da disciplina de Leitura, Interpretação e Produção de Textos Jurídicos, coordenada pelo professor Rômulo Augusto Arsufi Vigatto. A aula prática contou também com a colaboração de dois formandos de Direito da FAJ.

Os alunos abordaram o conteúdo dos livros O Caso dos Exploradores de Cavernas e O Caso dos Denunciantes Invejosos, para se basearem na elaboração da aula sob o assessorado dos ex-alunos Letícia Rovaron Gelaine, que comandou o grupo de acusados e Eric Profeti de Almeida da Silva, com o grupo de defesa. A aula prática contou também com participação dos alunos do curso de Logística para composição do corpo de jurados e consequentemente do conselho de sentença, além de convidar pessoas de fora, como motoristas de vans e também os alunos do 5º e 7º semestre de Direito.

O professor da disciplina explica que um dos maiores desafios para o ingressante do curso é a leitura, por ser muito rebuscada e complexa, com algumas dificuldades em interpretação e produção de textos também. “Gradativamente houve uma considerável evolução dos alunos na leitura, interpretação e produção de textos, pois trabalhamos ostensivamente com sentenças, acórdãos e técnicas de redação de uma petição inicial e de contestação (defesa), apenas no que concerne a parte relacionada aos fatos“, conta o docente.

“A atividade foi dinâmica e conseguimos tirar dela uma boa base sobre o que é um Júri, pois todos os alunos que participaram da aula levaram muito a sério seu trabalho. O caso embora seja complexo, foi apresentado de forma integrativa e importante para o desenvolvimento individual e coletivo”, descreve a aluna Amanda Andrade Silva.

“Foram aplicadas puramente as metodologias ativas, tendo em vista que a grande missão dos alunos da acusação e da defesa era convencer os jurados a votarem pela condenação dos réus ou pela absolvição dos mesmos”, afirma o professor Rômulo. Além de desafiar os alunos a ler e interpretar textos mais a fundo, os grupos tiveram que produzir um trabalho escrito contendo a peça acusatória e a peça defensória.

O docente responsável pela aula afirma que se surpreendeu com o conhecimento mostrado pelos alunos, bem como a leitura correta que realizaram sobre os livros e as teses levantadas para buscarem a condenação e a absolvição dos réus.

“Os eventos foram extremamente importantes do ponto de vista acadêmico, pela interação de alunos de outros cursos e de pessoas de nossa sociedade como os motoristas de vans. No mais, foi uma oportunidade ímpar dos graduandos que estão no 1º semestre vivenciarem a prática de forma intensa, o que deixou claro a motivação de todos os alunos em relação ao curso e a FAJ”, destaca.