Mercado aquece procura por pós-graduação em Engª de Segurança do Trabalho

Mercado aquece procura por pós-graduação em Engª de Segurança do Trabalho

O mês de março deste ano pode ser considerado um divisor de águas na carreira de um grupo de 17 profissionais. Eles integram a primeira turma do curso de pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho da Faculdade de Jaguariúna – FAJ em parceria com o IBPolis, que, após 18 meses (março de 2012 a dezembro de 2013) de formação, aprimoraram sua qualificação para atuar em uma área que está em pleno crescimento.

Impulsionada pela cultura da prevenção de acidentes laborais, a Segurança do Trabalho está na agenda do governo e dos empresários brasileiros. “Existe hoje, nas empresas e nos órgãos estatais, a necessidade de desenvolver estratégias para conter os altos índices de acidentes, que custam milhões de reais aos cofres públicos. Já as empresas perceberam a importância da prevenção de acidentes para sua sustentabilidade em relação aos custos trabalhistas elevados, a qualidade de vida do trabalhador, a produtividade e a permanência em um mercado cada vez mais exigente em relação à responsabilidade social”, explica o professor Iberacir Ribeiro Lopes, co-coordenador do curso de pós em Segurança da FAJ/IBPolis.

Esta nova realidade tem contribuído para alavancar a procura pelo curso. A segunda turma, que teve início em 2013, conta com 25 alunos e uma terceira turma, que foi aberta para atender a demanda aquecida, já começou o ano com 27 pós-graduandos. O primeiro passo para a consolidação do curso foi alcançado com o credenciamento da pós pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia). “O principal conceito da nossa pós-graduação é a formação de um profissional capaz de analisar e identificar os riscos e avaliar os processos produtivos. O engenheiro de segurança tem a responsabilidade de minimizar e eliminar esses fatores de risco e, com isso, garantir um ambiente seguro e saudável para o trabalho”, afirma.

Para alcançar esta meta, o curso lança mão de professores experimentados no mercado de trabalho e especialistas acadêmicos, fundamentais para fornecer uma sólida base conceitual aos alunos.

MERCADO DE TRABALHO

O campo de atuação do engenheiro de Segurança é vasto e bastante valorizado em segmentos como a construção civil, química, metalurgia, área florestal, entre várias outras atividades econômicas. Há ainda um grande filão deste mercado, ainda não totalmente ocupado, em consultoria para pequenas e médias empresas, perícias trabalhistas e previdenciárias, entre outras.

“A sustentabilidade e perpetuação dos negócios passam por uma mudança do papel da segurança do trabalho nas organizações. A melhoria da qualidade de vida e das condições ambientais do trabalho possibilita um aumento da produtividade, qualidade e, sobretudo, da competitividade das empresas’, explica o coordenador acadêmico do curso, professor Renato Monaro.