Interclínicas da UniFAJ inaugura ambulatório de nutrição pediátrico

Interclínicas da UniFAJ inaugura ambulatório de nutrição pediátrico

As crianças de Jaguariúna que necessitam de atendimento de especialistas em nutrição a partir de agora serão recebidas em um espaço especialmente preparado para o público infantil. Isso porque foi inaugurado, no dia 6 de junho, o Ambulatório de Atendimento Pediátrico da Interclínicas da UniFAJ (Centro Universitário de Jaguariúna).

A sala toda decorada e ambientada para receber as crianças foi montada a partir de projeto das alunas do 7º semestre do curso de nutrição da instituição, sob orientação da professora Natália Conessa, que leciona a disciplina de nutrição aplicada. “Os alunos dos 7º e 8º semestres na disciplina de Nutrição Aplicada produzem um trabalho de conclusão de estágio um pouco mais elaborado como se fosse um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), e sempre a minha solicitação é que esse trabalho devolva algo à comunidade. Eu deixo o tema em aberto e os alunos, durante os atendimentos de nutrição de crianças, adultos e idosos, têm que desenvolver alguma temática e devolver isso para os pacientes ou para a comunidade”, explica a professora Natália.

E foi sob essa ótica que o grupo das alunas Ingrid Lugiannatiello Todero, Janaina Oliveira e Victória van Hoof pensou em desenvolver esse ambulatório. “Logo nos primeiros atendimentos elas receberam muitas crianças com excesso de peso, com hipercolesterolemia, autistas, e nossos ambulatórios são sem nenhuma característica. Sendo assim, elas resolveram desenvolver um ambulatório de nutrição pediátrico com características que atraem as crianças. Dessa foram, a consulta se torna um pouco mais fácil, porque muitas vezes a criança já vem apreensiva por ir ao médico e, agora, aqui encontra outro ambiente. Assim a criança se sente mais à vontade, a gente pode apresentar os alimentos a ela de uma forma um pouco mais divertida, mais lúdica, para ela ter um interesse por uma alimentação um pouco melhor. Nesse formato, enquanto um aluno está conversando com os pais o outro pode desenvolver a educação nutricional, algum tipo de intervenção no espaço kids”, diz a professora Natália, que supervisiona todos os atendimentos.

As dificuldades nos atendimentos iniciais motivaram as alunas e despertaram a criatividade em criarem o novo espaço. “Eu senti vontade de montar esse ambulatório porque meu primeiro contato com a nutrição infantil na prática aqui na Interclínicas foi o atendimento a uma criancinha de 1 ano e 6 meses e senti muita dificuldade, pois ela viu nós todos de branco e associou ao um momento de médico, de vacina e de estresse. E por isso foi uma consulta muito rápida, não consegui coletar todas as informações necessárias. E ali eu percebi que precisávamos de um ambulatório para atendimento infantil. Estamos muito felizes porque conseguimos criar esse espaço no qual nós vamos deixar nossa marca registrada dentro da Interclínicas e saber que as crianças vão ter um lugarzinho para elas se sentirem acolhidas e, principalmente, ter um atendimento nutricional de qualidade”, relata Ingrid.

“A primeira vez que eu vi uma criança no atendimento percebi que ela estava um pouco espantada com os jalecos brancos. Resolvemos montar um lugar onde a criança se sinta à vontade, possa ver o alimento como algo bom, e que ela tenha lembranças boas”, complementa Janaina.

A coordenadora do curso de Nutrição da UniFAJ, professora Jacqueline Magno, afirma que o projeto nada mais é que um reflexo da própria condução que a instituição tem na formação do aluno. “A questão da prática desde o início do curso, a visão de ter uma postura reflexiva, tentar se posicionar e mudar a realidade, isso ocorre desde o primeiro momento. Então quando o aluno chega ou término da prática do estágio ele está preparado para atender a comunidade. Foi isso que despertou esse grupo de alunas a ter essa iniciativa, pois os alunos veem quais são as necessidades. Porque algo que falamos muitos dentro do curso é ‘qual o problema que a sociedade tem? Aonde ela busca ajuda?’ Só é válido nosso conhecimento, nossa construção profissional, se a gente consegue devolver para essa sociedade aquilo que realmente ela precisa. Não é o supérfluo, é a necessidade. Então uma aluna de nutrição perceber que ela precisava de um ambiente para atender uma criança, muitas delas com déficit de atenção, autismo, obesas, e criar um espaço para a criança ter contato com o alimento, se perceber, sentir prazer e brincar, garante que nós alcançamos nosso objetivo. A ideia é fantástica. Nutricionista UniFAJ é aquele que muda a realidade onde está inserido”, defende.