Agende uma visita!


    UniFAJUniMAXFAAGROH

    Grupo UniEduK aborda a promoção do desenvolvimento humano e sustentável por meio da engenharia

    “A Engenharia que transforma vidas” foi tema da palestra ministrada por Adalberto Teodoro, vice-presidente de acompanhamento dos Engenheiros Sem Fronteiras Brasil (ESF Brasil)
    Os estudantes de todos os semestres dos cursos de Engenharia de Produção do Grupo UniEduK (UniMAX e UniFAJ) tiveram a oportunidade de aprender mais sobre a promoção do desenvolvimento humano e sustentável por meio da engenharia. O tema “A engenharia que transforma vidas” foi ministrado por Adalberto Teodoro, vice-presidente de acompanhamento dos Engenheiros Sem Fronteiras Brasil (ESF Brasil).
    Engenharia social, sustentabilidade e empreendedorismo foram alguns dos tópicos abordados pelo profissional que também é certificado como Project of Development pela APMG International, organização global especializada em credenciamento e certificação destinada a profissionais que desejam desenvolver e refinar suas habilidades.
    Formado em Engenharia Civil, Adalberto é ainda especialista em processos e operações de construção civil, gestor de projetos a mais de três anos, com as temáticas da Engenharia, Sustentabilidade e Educação. Além disso, é um entusiasta do Empreendedorismo & Inovação, sendo um dos idealizadores do Hackathon das Juventudes, uma parceria entre o IYD Brasil, Mapa da Educação e ESF Brasil. O palestrante se interessa por Educação Empreendedora, Gestão de Projetos e Pessoas, Inovação, Sustentabilidade, Terceiro Setor e Voluntariado.
    De acordo com o gestor do curso de Engenharia de Produção, professor Silvio Cavallari, o tema da palestra é bastante relevante, pois uma das principais características buscadas pelas empresas na contratação de um Engenheiro de Produção, além do nível técnico, é a capacidade social, de intermediar conflitos e lidar com pessoas. “A principal mensagem deixada pelo palestrante foi a importância do relacionamento e visão social que todos os engenheiros devem ter, já que os projetos sociais fazem parte de todas as indústrias”, conclui.
    Texto: Tatiane Dias – (MTB 67029)
    Foto: Arquivo Pessoal

    Skip to content