Formandos de Engenharia de Controle e Automação desenvolvem projeto de soldagem por ultrassom

Formandos de Engenharia de Controle e Automação desenvolvem projeto de soldagem por ultrassom

Projeto inovador

Por Bruno Felisbino

Decididos a criar algo original e inovador, três alunos do último semestre do curso de Engenharia de Controle e Automação estão aproveitando o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) para desenvolver uma nova tecnologia para o mercado de automação. Eles estão construindo um equipamento para soldagem por ultrassom.

“Gostaríamos de trazer algo novo para a Faculdade, e a ideia de se construir uma máquina de solda por ultrassom é algo inédito entre os projetos de conclusão de curso, além do que, o mercado para quem domina esta tecnologia está carente”, afirma Eduardo Mucciolo, um dos membros da equipe, ao lado de Deibson Xavier e Willian de Oliveira.

Na definição técnica do grupo, trata-se de um equipamento para a realização de solda por ultrassom, aplicado a materiais poliméricos, principalmente os termoplásticos. A estrutura é composta por uma mesma indexadora automatizada de 4 posições, que permite o aumento da produtividade através de um processo contínuo de produção.  O processo de soldagem e a retirada de peças processadas da máquina é automática com um controle por CLP – Controlador Lógico Programável.

O equipamento realiza a união de duas peças em material polimérico, através de vibrações acima de 20 KHZ. “A principal funcionalidade do equipamento é a lacração de tampas utilizadas em frascos na indústria”, explica Eduardo.

O projeto exigiu muito empenho e dedicação dos alunos, que, para cumprir os prazos, estabeleceram uma rotina “industrial” de trabalho. “Dividimos as responsabilidades e passamos a respeitar um cronograma a partir das férias de julho, em que a meta era terminar a estrutura antes do início das aulas. Para isso, utilizamos todo o tempo disponível, incluindo os finais de semana. Desta maneira, conseguimos impor ritmo e eficiência na construção da máquina”, conta o aluno.

O resultado do trabalho impressionou a coordenação do curso e animou os estudantes a tentar emplacar o projeto no mercado. Para Eduardo Mucciolo, o apoio ao aprendizado na prática dado pela FAJ faz toda a diferença. “Através da seriedade do projeto, tivemos mais facilidade de acesso aos recursos. O interesse dos professores envolvidos também nos deixa motivados a continuar aprimorando o equipamento para alcançarmos um resultado cada vez melhor”.