Aula Magna da Pedagogia teve como tema a proposta pedagógica de Célestin Freinet

Aula Magna da Pedagogia teve como tema a proposta pedagógica de Célestin Freinet

No dia 19 de agosto ocorreu a Aula Magna de pedagogia da UniFAJ – Centro Universitário de Jaguariúna -, tendo como tema a Pedagogia de Célestin Freinet. A palestrante, pedagoga e professora Ruth Jofilly, que trabalha a prática educativa inspirada nesse educador desde 1998, trouxe seu conhecimento e vivência educacional para os alunos do curso de pedagogia, que tiveram a oportunidade de conhecer mais profundamente a pedagogia Freinetiana.

Célestin Freinet, educador francês, desejava criar um sistema democrático de educação e livre de contradições sociais. Para ele, a escola tradicional era fechada, contrária à descoberta, ao interesse e ao prazer da criança. Seu objetivo básico era desenvolver uma escola popular, criando, assim, o movimento da escola moderna.

O movimento pedagógico fundado por ele caracteriza-se por sua dimensão social, evidenciada pela defesa de uma escola centrada na criança, que é vista não como um indivíduo isolado, mas fazendo parte de uma comunidade. A escola por ele concebida é vista como elemento ativo de mudança social e é também popular por não marginalizar as crianças das classes menos favorecidas. O educador questionava a definição de materiais, de locais e de condições especiais para a realização do trabalho pedagógico. Propõe o trabalho/jogo como atividade fundamental, com técnicas construídas com base na experimentação e documentação, fornecendo à criança instrumentos para aprofundar seu conhecimento e desenvolver sua ação.

Algumas técnicas da pedagogia de Freinet são: o desenho livre, o texto livre, as aulas-passeio, a correspondência interescolar, o jornal, o livro da vida (diário e coletivo), o dicionário dos pequenos, o caderno circular para os professores, etc. Segundo a professora e coordenadora do curso da UniFAJ, Regina Maringoni, essas técnicas fornecem o desenvolvimento dos métodos naturais da linguagem (desenho, escrita, gramática), da matemática, das ciências naturais e das ciências sociais. Porém, essas técnicas não são um fim em si mesmas, e sim, momentos de um processo de aprendizagem que, ao partir dos interesses mais profundos da criança, propicia as condições para o estabelecimento da apropriação do conhecimento.

Sua proposta é centralizada na criança e baseada sobre alguns princípios: senso de responsabilidade, senso cooperativo, sociabilidade julgamento pessoal, autonomia, expressão, criatividade, comunicação, afetividade e reflexão individual e coletiva.