Alumni do Grupo UniEduK conquista validação do diploma para atuar como médica veterinária na Alemanha

Alumni do Grupo UniEduK conquista validação do diploma para atuar como médica veterinária na Alemanha

Anna Carolina Böer de Arruda Botelho se formou em Medicina Veterinária em 2016 pela UniFAJ. A partir de agora, ela pode atuar como médica veterinária autônoma e abrir sua própria clínica no país Europeu.

Anna Carolina Böer de Arruda Botelho, alumni do Grupo UniEduK, celebra uma grande conquista, fruto de anos de esforço e dedicação aos estudos e à sua profissão: a validação de seu diploma de Medicina Veterinária na Alemanha.

Formada em 2016 pela UniFAJ – Centro Universitário de Jaguariúna, a médica veterinária está na Alemanha desde abril de 2018. Sua ida ao país aconteceu por meio de uma proposta de emprego vinda de um amigo da família de sua mãe que tem nacionalidade alemã.

De lá para cá, Anna Carolina trabalhou por um curto período em Hamburgo; um ano e meio como assistente em uma clínica em Stuttgart e já está há um ano em outra clínica na mesma cidade. Nesse meio tempo, a médica veterinária fez uma pós-graduação em Quiropraxia Veterinária com foco em equinos e também pequenos animais.

Confira a trajetória da alumni para conquistar a validação do diploma:

O INÍCIO

A princípio, para exercer suas atividades como assistente de médico veterinário na Alemanha, Anna Carolina precisou obter uma permissão de trabalho. Para isso, apresentou passaporte alemão, diploma, contrato de trabalho no país, certificado da língua alemã, entre outros documentos entregues para uma agência do Estado que coordena os empregos.

Então, ela obteve uma permissão válida por quatro anos. “É o tempo que você tem para validar o diploma e poder trabalhar como veterinário autônomo sem precisar trabalhar para outro profissional como empregado numa clínica”, explica a alumni.

FOTO 2_500x500px_foto-2 (2)

Legenda: Apaixonada por cavalos desde a infância, Anna Carolina dedica sua profissão a eles

O PROCESSO DE VALIDAÇÃO

Porém, a médica veterinária não esperou o prazo correr para iniciar seu processo de validação. Ela solicitou seus documentos à UniFAJ, recebendo o apoio de Caroline de Rosso do Departamento Internacional para a tradução do histórico escolar e grade curricular do curso.

Em seguida, levou-os para a Universidade de Medicina Veterinária em Munique onde um professor avaliou todo seu curso, experiências de trabalho, estágio, notas, disciplinas, entre outros.  Após avaliação criteriosa, docente alemão indicou quais matérias Anna Carolina precisaria refazer e compensar a diferença entre a grade curricular brasileira e a alemã.

“Foram sete matérias, principalmente, relacionadas à legislação da União Europeia. Fiz HITPOA - Higiene, Inspeção e Tecnologia de Produtos de Origem Animal para carnes e alimentos; radiologia; epidemiologia e as doenças infectocontagiosas e prevenção; etologia e bem-estar animal com todas as leis que os protegem desde transporte, abate e produção; farmacologia e as legislações relacionadas ao uso de medicamentos e anestésicos”, conta a ex-aluna.

O próprio docente, que avaliou os documentos, indicou os professores que lecionam essas matérias em Munique para que orientassem o que ela deveria estudar para a prova de revalidação. “Cada matéria tinha mais de 600 páginas de lei para estudar e depois era realizada uma prova individual (teórica/oral e parte escrita) para cada uma”, diz Anna Carolina.

FOTO 3_500x500px_foto-3 (2)

Legenda: Anna Carolina em sua rotina de trabalho com equinos na Alemanha

 

O DESEMPENHO DA ALUMNI

Dedicar-se aos estudos não foi um problema para Anna Carolina. “Sempre gostei muito de estudar. Eu ia muito bem na UniFAJ. Eu acho que ter dado duro e estudado bastante, valeu a pena, porque todas as matérias que tive que fazer prova aqui, em algum momento sempre me lembrei do que a gente aprendeu em aula”, destaca.

Para ela, os desafios foram outros. “Foi difícil conciliar a vida profissional com voltar a ser estudante ainda mais em outra língua”, diz. “O mais difícil é que eu estava trabalhando simultaneamente na clínica, dando plantão de fim de semana e à noite, e estudando muito, não teve jeito, era muita lei”, ressalta a egressa.

A fluência no idioma alemão fez uma grande diferença para a conquista da alumni. “Ter alemão fluente foi meio caminho andado para mim. Mas no começo foi muito difícil aprender todo o alemão de legislação que é bem específico. Eu levava para meu chefe listas e listas de palavras que eu não sabia a tradução. Depois de um tempo fui pegando o jeito e ficou mais fácil”, salienta.

FRASE 1_olho-materia_1 (2)

O RESULTADO

O resultado de todo esse empenho? Anna Carolina passou de primeira em todas as avaliações. Das setes provas feitas por Anna Carolina, ela tirou 10 em seis e 8 em apenas uma. “Na verdade, eles nem dão nota, só falam se passou ou não, mas no meu caso, eles ficaram bem felizes com o que eu sabia, então, me deram nota para ajudar no meu currículo e ampliar ainda mais meus caminhos”, revela.

A médica veterinária levou cerca de um ano durante todo o processo de validação do diploma e já almeja novos rumos. “Gosto muito da clínica, mas quero tentar a área de fiscalização de alimentos e abatedouro. Fazer doutorado na área de higiene de alimentos está nos meus planos. Vou tentar redirecionar para mudar de novo”, conclui a alumni.

FRASE 2_olho-materia_2 (2)

 

Texto: Tatiane Dias – (MTB 67029)

Fotos: Arquivo Pessoal