Faculdade Jaguariúna
Reconhecido pelo MEC, conforme Portaria Ministerial nº 3.469, publicada no Diário Oficial da União em 10/10/05. Nota no ENADE: 4.

Apresentação

O profissional de enfermagem, ao contrário do que muitos pensam, não encontra mercado de trabalho somente dentro dos hospitais ou postos de saúde. Ele pode atuar como integrante da área de saúde de empresas, cuidar de pessoas em tratamento em casa e em laboratórios junto aos farmacêuticos na elaboração de implementos científicos que melhorem a eficácia dos tratamentos médicos. Também pode atuar em programas como o Saúde da Família e em equipes que façam a vigilância sanitária de empresas, escolas e outros estabelecimentos comerciais. Pode ainda se especializar na área acadêmica, produzindo artigos que visem contribuir de alguma forma para a evolução no tratamento dos pacientes, a partir do estudo de casos. Para quem deseja especializar-se, há a opção de dar aulas nas universidades de enfermagem espalhadas pelo país. 

O profissional de enfermagem trabalha em conjunto com o profissional de medicina para que o tratamento dos pacientes seja o mais efetivo e humano possível. O enfermeiro é sempre peça chave em todas as equipes de saúde. Como tem um contato direto com o paciente e o seu estado de saúde, ele faz a ponte entre os médicos, os administradores, os auxiliares de enfermagem, os psicólogos e os nutricionistas, trabalhando como integrador de equipes multidisciplinares.

Para que possamos formar profissionais com esse perfil temos como diferencial, na FAJ, um curso atual, democrático e teórico/prático, possibilitando aos alunos desenvolverem na prática toda a teoria ofertada em sala de aula desde o 1º semestre do curso. Várias condições se conjugam para que possamos ter um grande diferencial: corpo docente formado por mestres e doutores em sua maioria; além de laboratórios para realização das aulas práticas das disciplinas básicas (Anatomia, Bioquímica, Ciências Morfológicas, Parasitologia e Imunologia). 

Quanto às aulas práticas de campo e estágios, temos parcerias com várias secretarias de Saúde, hospitais como Mário Gatti, Hospital das Clínicas da Universidade de Campinas (Unicamp), Estratégia de Saúde da Família em Pedreira, Hospital Amigo da Criança no município de Itapira, Lar Feliz, Raízes da Vida, entre outros, buscando os melhores locais para atender o momento adequado do aprendizado, campos esses que contribuem com a construção de um conhecimento sólido, ético e interdisciplinar de nossos alunos. Também temos a Interclínicas, campo de excelência onde os alunos desenvolvem ações de Promoção da Saúde, Prevenção da Doença, Diagnóstico Precoce, Tratamento Oportuno e Reabilitação. Além disso, atuam em Home Care em parceria com a Prefeitura de Jaguariúna com seus setores. 

O projeto pedagógico do Curso de Enfermagem da FAJ garante uma formação exemplar e o acesso às vagas mais concorridas do mercado de trabalho.


Objetivos e perfil

OBJETIVOS
O Curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade de Jaguariúna-FAJ tem por objetivo formar enfermeiros com competência técnica, científica, humanista, social, política e ética, capazes de: desenvolver o raciocínio epidemiológico e clínico investigativo; agir de forma crítica e reflexiva; atuar na promoção, recuperação e reabilitação da saúde e prevenção de doenças do indivíduo, do grupo familiar e da coletividade nos diferentes níveis de atenção, intervindo na realidade de forma a transformá-la.

PERFIL DO EGRESSO
O perfil do egresso foi construído a partir das Diretrizes Curricular Nacional para os Cursos de Graduação em Enfermagem e nas discussões coletivas realizadas pelos docentes da IES sob a coordenação da Comissão de Mudança Curricular, podendo ser sintetizado como: o enfermeiro, com formação generalista, humanística, crítica e reflexiva. É o profissional qualificado para o exercício da Enfermagem, com base no rigor científico e intelectual e pautado em princípios éticos. Capaz de conhecer e intervir sobre os problemas e as situações de saúde-doença mais prevalentes no perfil epidemiológico nacional, com ênfase na sua região de atuação, identificando as dimensões bio-psico-sociais dos seus determinantes. Capacitado a atuar com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano.

Competências do enfermeiro

COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIRO
A formação do enfermeiro pretende dotar o enfermeiro de conhecimentos que fundamentem competências e habilidades gerais e específicas contidas nas DCN do Curso de Graduação em Enfermagem, quais sejam:

Atenção à saúde: os profissionais de saúde, dentro de seu âmbito profissional, devem estar aptos a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo. Cada profissional deve assegurar que sua prática seja realizada de forma integrada e contínua com as demais instâncias do sistema de saúde, sendo capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da sociedade e de procurar soluções para os mesmos. Os profissionais devem realizar seus serviços dentro dos mais altos padrões de qualidade e dos princípios da ética e da bioética, tendo em conta que a responsabilidade da atenção à saúde não se encerra com o ato técnico, mas sim, com a resolução do problema de saúde, tanto em nível individual como coletivo.

Tomada de decisões: o trabalho dos profissionais de saúde deve estar fundamentado na capacidade de tomar decisões visando o uso apropriado, a eficácia e o custo-efetividade da força de trabalho, da utilização dos medicamentos, dos equipamentos, dos procedimentos e das práticas. Para este fim, estes profissionais devem possuir competências e habilidades para avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas baseadas em evidências científicas.

Comunicação: os profissionais de saúde devem ser acessíveis e devem manter a confidencialidade das informações na interação com outros profissionais de saúde e o público em geral. A comunicação envolve comunicação verbal e não-verbal e habilidades de escrita e leitura, assim como o domínio de, pelo menos, uma língua estrangeira e de tecnologias de comunicação e informação.

Liderança: no trabalho em equipe multiprofissional, os profissionais de saúde deverão estar aptos a assumir posições de liderança, sempre tendo em vista o bem estar da comunidade. A liderança envolve compromisso, responsabilidade, empatia, habilidade para tomada de decisões, comunicação e gerenciamento de forma efetiva e eficaz.

Administração e gerenciamento: os profissionais devem estar aptos a tomar iniciativa, fazer o gerenciamento e administração tanto da força de trabalho, quanto dos recursos físicos, materiais e de informação, da mesma forma que devem estar aptos a ser empreendedores, gestores, empregadores ou lideranças na equipe de saúde;

Educação permanente: os profissionais devem ser capazes de aprender continuamente, tanto na sua formação, quanto na sua prática. Desta forma, os profissionais de saúde devem aprender a aprender e ter responsabilidade e compromisso com a sua educação, o treinamento e os estágios das futuras gerações de profissionais, sempre proporcionando condições para que haja beneficio mútuo entre os futuros enfermeiros e os profissionais dos serviços, inclusive estimulando e desenvolvendo a mobilidade acadêmico/profissional, a formação e a cooperação por meio de redes nacionais e internacionais.

Promoção da saúde: Historicamente, a atenção à saúde no Brasil tem investido na formulação, implementação e concretização de políticas de promoção, proteção e recuperação da saúde. Há, pois, um grande esforço na construção de um modelo de atenção à saúde que priorize ações de melhoria da qualidade de vida dos sujeitos e coletivos. Nessa direção, o curso de enfermagem propõe uma ação transversal, integrada, interdisicplinar e intersetorial, que faça dialogar os diversos cursos dessa IES, sendo ou não da área da saúde, desenvolvendo ações em instituição governamental ou não governamental e a sociedade, compondo redes de compromisso e co-responsabilidade quanto à qualidade de vida da população em que todos sejam partícipes no cuidado com a saúde. Essas ações estão sendo construídas e desenvolvidas com o PAIPPES: Programa de Ação Integral de Promoção, Proteção e Educação para a Saúde.

Estrutura curricular

Estrutura curricular - Enfermagem

Observamos no gráfico acima as disciplinas que compõem os grandes eixos, das Diretrizes Curriculares. Informamos que essas disciplinas são distribuídas ao longo dos dez semestres que compõem a Matriz Curricular.


Essa Matriz Curricular foi construída com a participação do grupo docente e discente, considerando um curso coerente e possível o trabalho interdisciplinar. Possibilitando realização de ensino-aprendizagem prazerosos, significativos, que resultem em um aluno crítico, criativo, capaz de analisar situações encontradas no território, assim como propor ações de saúde. O aluno é inserido no campo da prática em saúde, desde o 1º semestre por meio da Disciplina Educação e Atenção Integral a Saúde objetivando o processo da prática interdisciplinar, acompanhando o aluno até o 8º semestre, sendo o 9º e 10º Estágio Supervisionado. As demais disciplinas foram alocadas nos semestres permitindo a realização de conteúdo interdisciplinar e formação de núcleo comum com outros cursos, enfatizando a Política Nacional de Saúde, assegurando a integralidade da atenção e a qualidade e humanização do atendimento. 


ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA PROFISSIONAL

O Estágio Supervisionado no Curso de Enfermagem da FAJ é previsto para ocorrer nos dois últimos semestres do Curso, conforme preconizam as Diretrizes Nacionais de Graduação para os Cursos de Enfermagem. 


É definido como atividades práticas obrigatórias que propicie ao aluno adquirir experiência profissional específica e que contribua de forma eficaz, para a sua absorção pelo mercado de trabalho. O que caracteriza e diferencia a atividade de estágio das demais práticas de campo desenvolvidas no Curso é a ênfase na atribuição da responsabilidade progressiva aos estudantes no que concerne a sua autonomia para prestar assistência sistematizada e planejar as atividades próprias do enfermeiro, em suas diferentes áreas de atuação, visando ao aprimoramento das habilidades e competências relativas à pesquisa, assistência e a administração em enfermagem. 


O objetivo é proporcionar ao aluno a oportunidade de aplicar seus conhecimentos acadêmicos em situações da prática profissional clássica, possibilitando-lhe o exercício de atitudes em situações vivenciadas e a aquisição de uma visão crítica de sua área de atuação profissional. O estágio é desenvolvido em três momentos: Atenção Hospitalar nível terciário, Atenção Básica de Saúde-Estratégia Saúde da Família e no Programa de Assistência Interdisciplinar na Promoção, Prevenção e Educação para a Saúde, em todos esses momentos os alunos desenvolvem. 


Projeto de Intervenção negociado na instituição de saúde (Campos, 2000). Respeitando os seguintes passos:
Construção de Vinculo e de um Contrato de Trabalho entre Equipe Técnica, Grupos de Usuários e Organizações.
A Emergência do TEMA.
Construir Projeto de Intervenção com envolvimento da Equipe Técnica, dos Grupos Vulneráveis e de Organizações.
Considerações sobre o papel da equipe (poder publico) e o da comunidade, sobre a intersetoriedade e a Educação em Saúde.
Após pactuar as condições citadas o Projeto de Intervenção deverá atender as etapas:

 


a) Definição do TEMA Prioritários.
b) Análise do Contexto.
c) Definição das Diretrizes e tomada de Decisão em Roda.
d) Definição de tarefas consideradas potentes para alterar o contexto nocivo.
e) Análise prática ou do Resultado da intervenção.

 


A carga horária total de estágio supervisionado do curso é de 800 horas, distribuídas equitativamente entre o nono e o décimo semestres letivos. Portanto, atende as recomendações das Diretrizes Curriculares Nacionais, que em seu Art. 7º define que a carga horária mínima do estágio curricular deverá totalizar 20% (vinte por cento) da carga horária total do Curso.

O planejamento das atividades de estágio é feito em conjunto com as Comissões de Estágio existente nas Instituições de saúde e se inicia com antecedência de três meses, quando são realizadas reuniões para definição de períodos e atividades a serem desenvolvidas. 


AULAS PRÁTICAS

São aulas que acontecem em todos os semestres, objetivando proporcionar ao estudante a interdisciplinaridade e aplicar o conteúdo teórico na pratica no momento em que está sendo ofertado em sala de aula. Essas aulas iniciam com a caracterização do Território, Diretrizes do Sistema Único de Saúde, Comunicação Verbal e Não Verbal Análise dos Indicadores de Saúde, Semiologia e Semiotecnica evoluindo até as praticas hospitalares e Saúde Coletivas, mais complexas.


Disciplinas

1º Semestre
Anatomia humana I
Bioquímica I
Ciências morfológicas I
Ciências sociais em saúde
Educação e atenção integral a saúde I
Enfermagem no contexto histórico da atenção a saúde
Nutrição e saúde
Semiologia e semiotécnica de enfermagem I

2º Semestre
Anatomia humana II
Bioquímica II
Ciências morfológicas II
Educação e atenção integral a saúde II
Fisiologia humana I
Metodologia do trabalho científico
Saúde coletiva I
Semiologia e semiotécnica de enfermagem

3º Semestre
Atividades complementares I
Bioestatística
Comunicação e relacionamento interpessoal I
Educação e atenção integral a saúde III
Farmacologia I
Fisiologia humana II
Imunologia
Microbiologia geral
Parasitologia
Semiologia e semiotécnica de enfermagem III

4º Semestre
Comunicação e relacionamento interpessoal II
Controle e prevenção de doenças transmissíveis
Educação e atenção integral a saúde IV
Epidemiologia
Farmacologia aplicada à enfermagem
Farmacologia II
Patologia geral
Práticas integrativas e saúde sustentável
Sistematização da assistência de enfermagem

5º Semestre
1º Ciclo de vida: saúde do recém-nascido, criança e adolescente I
2º Ciclo de vida: saúde da mulher I
Educação e atenção integral a saúde V
Saúde coletiva II
Sáude mental

6º Semestre
1º Ciclo de vida: saúde do recém-nascido, criança e adolescente II
2º Ciclo de vida: saúde da mulher II
Análises clinicas, laboratoriais e imagem
Bioética
Educação e atenção integral a saúde VI
Linguagem e escrita no campo da saúde

7º Semestre
3º Ciclo de vida: saúde do adulto
Atividade complementar II
Educação e atenção integral a saúde VII
Gestão e atenção básica de saúde
Gestão e empreendedora
Projeto de pesquisa I
Saúde do trabalhador
Violência, saúde e gênero

8º Semestre
3º Ciclo de vida: saúde do adulto II
4º Ciclo de vida: saúde do idoso
Atenção pré-hospitalar, urgência e emergência
Atividade complementar II
Educação e atenção integral a saúde VIII
Enfermagem em centro cirúrgico e central de material
Gestão de serviço hospitalar
Projeto de pesquisa II

9º Semestre
Estágio supervisionado I
Estudos avançados em enfermagem I
LIBRAS
Trabalho de conclusão de curso I

10º Semestre
Estágio supervisionado II
Estudos avançados em enfermagem II
Trabalho de conclusão de curso II

Mensalidade e contato

MENSALIDADE
R$ 691,00 (valor para pagamento até o 1º dia útil de cada mês)
R$ 863,75 (valor sem descontos)
Consulte o valor para Convênio-Empresa.
Valores válidos para mensalidades referentes ao ano 2014


COORDENAÇÃO
Prof.ª Lucia Penna
E-mail: enfermagem@faj.br
Telefone: (19) 3837-8500 Ramal 592
© 2011. Todos os direitos reservados