A Disponibilidade Hídrica da região de Jaguariúna é tema de Aula Magna

A Disponibilidade Hídrica da região de Jaguariúna é tema de Aula Magna

A Aula Magna do segundo semestre de 2017, dos alunos de Engenharia Ambiental do Centro Universitário de Jaguariúna – UniFAJ foi promovida no dia 11 de agosto sob o tema “A Cobertura Florestal e Sua Relação com a Disponibilidade Hídrica”. O engenheiro agronômico, José Carlos Perdigão palestrou aos alunos apresentando a situação atual da disponibilidade hídrica em nossa região que é a bacia PCJ (formada pelos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí), suas causas relacionadas às questões ambientais e à reversão das águas para o abastecimento da cidade de São Paulo (Sistema Cantareira).

Antes de iniciar a atividade, o profissional revelou que compareceu a instituição com uma missão, além das informações técnicas, mas veio querendo estimular cada aluno a terem uma mudança de comportamento. “Vim com um objetivo pessoal em não ser só mais um palestra simples, mas proporcionar sementinhas nas cabeças dos alunos que possam depois desabrochar em várias ações vinculadas ao seu futuro profissional, ampliar horizontes”, contou Perdigão. O palestrante possui uma vasta experiência da área ambiental e também como Diretor Presidente da ONG Jaguatibaia desenvolvendo um trabalho que visa mostrar às pessoas e íntima relação entre a mata de uma determinada região e sua disponibilidade de água. Segundo o Engenheiro, quando passamos a entender esse relacionamento mudamos o nosso olhar a respeito da natureza.

A região de Jaguariúna é uma região semelhante a Arábia Saudita, de acordo com José Carlos, o que diferencia é o fato do local ser um deserto e não ter população, o oposto da nossa região, que possui grande número de habitantes e a água está diminuindo já que devido a crise hídrica de São Paulo de 2014, a bacia PCJ está abastecendo o sistema Cantareira. “O que sobra vem para cá, então muitas pessoas e baixa qualidade ambiental e redução do volume da água, a disponibilidade hídrica fica semelhante a de uma área deserta”, explica o engenheiro. O primeiro passo para a população e os futuros profissionais desta área ambiental da UniFAJ tomarem par ajudar combater esse mal é entender o caso buscando informações de diversas mídias, não apenas de um canal de televisão, dica do palestrante.

Por fim, o profissional alertou os graduandos frisando que quando inicia um curso superior é necessário buscar a relação da graduação com a realidade fazendo as coisas acontecerem e não esperando o retorno sem agir. “As vezes início de carreira nem sempre faz o que se gosta, não só por não estar acessível o que eu gosto, mas porque não sei o que eu gosto. Preciso descobrir vários horizontes para ver o que me interessa mais, mas o que importa é dedicação, saber que pode ser um agente transformador da realidade, porque isso que faz tudo acontecer na vida de um engenheiro”, finalizou José Carlos Perdigão.

Quem é José Carlos Perdigão?

- Graduação em Engenharia Agronômica em 1.976, pela Escola Superior de Agricultura “LUIZ de QUEIROZ” – USP – Piracicaba, SP.

- Especialização em Planejamento da Empresa Agropecuária, pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), USP – 1991.

- Especialização em Gerenciamento para o Terceiro Setor, pelo SENAC, 2005.

- Especialização em Gerenciamento Ambiental, pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), USP – 2007.

Experiência em Diagnóstico do Potencial Agrícola do Imóvel Rural, Planejamento, Implantação e Gerenciamento de explorações agropecuárias e comerciais em Empresas Agrícolas.

Experiência na Adequação Ambiental da Propriedade Rural, identificação e reconhecimento da cobertura vegetal em Áreas de Preservação Permanente e definição de espécies nativas para os trabalhos de restauração ecológica. Indicação de áreas para Reserva Legal, e realização de estudos sobre a propriedade agrícola com base em imagens de satélite, com a devida confirmação em campo. Atua na recuperação de áreas degradadas (PRADE e execução), na produção de mudas de espécies nativas (implantação e condução de viveiros), na restauração florestal (Projetos de Restauração Florestal Ecológica), e elabora Diagnóstico Ambiental da Propriedade Rural. Atua na área de Licenciamento Ambiental para empreendimentos em áreas urbanas (Licenciamentos Municipal e Estadual), e rurais, com elaboração de Projetos Técnicos e de Relatórios Técnicos de acompanhamento das ações aprovadas.

Sócio Diretor desde 1993 da Consultoria e Planejamento Caraíva, S/S Ltda. – Caraíva Ambiental, com experiência como coordenador de equipes técnicas e na elaboração de Planos Diretores de Municípios na área de Meio Ambiente, condução de Audiências Públicas.

Experiência no Serviço Público do Município de São Paulo-SP, de 2001 a 2004, como Gerente e Responsável Técnico da Superintendência de Meio Ambiente e Paisagismo, na Empresa Municipal de Urbanismo (EMURB). Elaboração e implantação de projetos urbanos, compreendendo recuperação ambiental, paisagismo e equipamentos públicos em áreas da periferia e centros de bairros e em grandes eixos viários. Responsável técnico (CREA e Ministério Publico) pela implantação de arborização em áreas urbanas. Apresentação de Palestras sobre Meio Ambiente e Paisagismo Público em órgãos públicos (EMURB-SP, CET-SP) e Universidades (FAU-USP, Faculdade São Judas-SP, PUC Campinas-SP, e UNICAMP) e no SENAC – Campinas-SP.

Fundador e membro da primeira diretoria da Associação de Agricultura Orgânica (AAO) de São Paulo-SP em 1.989.

Atuação na Formação de Associações e Entidades Civis com vistas a Preservação Ambiental.

Sócio fundador em 1996 e atual Diretor Presidente da ONG Jaguatibaia Associação de Proteção Ambiental, em Campinas, SP.

Formação em Gerenciamento para o Terceiro Setor, com experiência na elaboração de programas e ferramentas para Educação Ambiental.

Um dos idealizadores e coordenador técnico do “Movimento REVIVA O RIO ATIBAIA” de 1997 a 2015.

Coordenador da Comissão Pro-APA (Área de Proteção Ambiental) de Campinas em 1.999.

Primeiro presidente do Conselho Gestor da APA de Campinas (Território de 22.330 ha) em 2001. Parcerias com a EMBRAPA Meio Ambiente (2005) e com a PUC-Campinas (2006), na elaboração e execução de Programas de Educação Ambiental. Parcerias desenvolvidas com a Fundação SOS Mata Atlântica e o Rotary Club Alvorada de Campinas-SP, na elaboração de Projetos Técnicos e execução de trabalhos de Restauração Florestal Ecológica.

Coordenador Técnico do Centro Jaguatibaia de Educação Ambiental e Restauração Florestal, em Campinas-SP. Idealizador do conteúdo da parceria Jaguatibaia/UNICAMP 2016, medição das vazões de sub-bacias da APA de Campinas que contribuem para o Rio Atibaia.

Responsável Técnico pela capacitação através do CONSÓRCIO PCJ, para Secretarias de Meio Ambiente dos municípios que compõem as Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí com o Tema: Implantação de Viveiros Florestais – Estratégias, Planejamento e Execução, ano de 2014.

Responsável Técnico pela implantação do “Matrizeiro”, ou seja, plantio de 80 espécies nativas de ocorrência natural na região das bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, para o desenvolvimento de “matrizes”, visando garantir a produção de sementes e consequente perpetuação destas espécies. Projeto do CONSÓRCIO – PCJ em propriedade da Prefeitura Municipal de Jaguariúna-SP – 20013.

Responsável Técnico pela elaboração e execução do Programa de Educação Ambiental da REPLAN/ Paulínia – SP, a cargo do CONSÓRCIO – PCJ. Programa desenvolvido à frente da Jaguatibaia Associação de Proteção Ambiental junto a 40 municípios das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, (inclusive Extrema – MG), com capacitação de professores das Secretarias Municipais de Ensino, Técnicos das Empresas de Saneamento Básico e Engenheiros Agrônomos das Casas de Agricultura destes municípios.

Idealizador e construtor da “Maquete Dinâmica”, um instrumento pedagógico capaz de facilitar a compreensão sobre a íntima relação e interdependência entre a cobertura florestal a disponibilidade hídrica e a conservação da biodiversidade de uma determinada região.

Agraciado pela Câmara Municipal de Campinas, SP com o Diploma de Mérito Herbert de Sousa – Betinho – pelos trabalhos desenvolvidos na área ambiental em Campinas, SP e região em 2006.

Trabalhos Publicados:

- Nova espécie de Coccídeo em ave silvestre brasileira, Sclerurus scansor Menetries-1.835, de plumagem creme e peito cor de ferrugem. Departamento de Parasitologia da Universidade de Campinas – UNICAMP, SP – U. Kawazoe, E. Gouveia, P. Jorge, C. M. E. Caputo e J. C. Perdigão. Campinas, SP – 1.988.

- Monitoramento de Doenças e Pragas na cultura do café – Uma experiência Prática. XXIII Congresso Paulista de Fitopatologia, Campinas, SP – fev/2.000. Auditório da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo.

- Adequação ambiental da propriedade rural e alternativa de uso para as áreas de Reserva Legal com a exploração comercial de espécies nativas – Monografia de conclusão do curso de Especialização em Gerenciamento Ambiental, pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), USP-2007.

- Série Educação Ambiental para o Desenvolvimento Sustentável, 1a Edição, Volume 7, obra “Monitoramento da Qualidade das Águas”- Publicação da EMBRAPA Meio Ambiente – Coautor, 2012.

ăn dặm kiểu NhậtResponsive WordPress Themenhà cấp 4 nông thônthời trang trẻ emgiày cao gótshop giày nữdownload wordpress pluginsmẫu biệt thự đẹpepichouseáo sơ mi nữhouse beautiful